Por conta da crise, agressões a peritos do INSS têm aumentado

Publicado em: 25/07/2016

De acordo com a Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP), o número de agressões a peritos vem aumentando no atual contexto de crise

Diante da escalada do desemprego, trabalhadores têm recorrido a pedido de afastamento como forma de se proteger da demissão, informa os técnicos da previdência social.

Toda vez que uma crise econômica começa, notamos que uma das portas usadas pelos trabalhadores para manter renda é o INSS, diz a perita baiana Edriene Teixeira, 45. Essas pessoas vão para a perícia no espírito do tudo ou nada.

A perita disse que já foi, inclusive, agredida com socos e puxões de cabelo ao recusar a extensão do benefício a uma trabalhadora que alegava incapacidade por LER (lesão por esforço repetitivo), segundo informações da Folha de S.Paulo.

De acordo com a Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP), o número de agressões a peritos vem aumentando no atual contexto de crise.

No primeiro semestre deste ano, foi registrado quase o mesmo número de agressões físicas e verbais contra peritos que em todo ano passado -487 neste ano contra 606 em 2015.

Atualmente, o período de carência para um desempregado pedir o benefício vai de um a três anos.

Fonte: Notícias ao Minuto (24/07/2016)










Voltar